quarta-feira, 29 de abril de 2009

Sanguessuga

Um precisa,
outro aproveita.
Parasitismo.
Isso foi o começo.

Forçassuga...
Alegriassuga...
Mas tem analgésico!
Assim foi o meio.

Um olhar triste e final,
um lábio cínico e fatal,
a fonte esgotou.
Esse foi o fim.

2 comentários:

Anônimo disse...

Muito legal
bj tchau!!(u meu rimou)

ass: anônimo 2

Agnes disse...

Aí já falou da socidedade em si.
E me faz lewmbrar que tudo funciona assim.
mas o melhor para os outros é ver a vida por outro lado, pois, se a vissem como nesse poema, a vida não mais haveria sentido. Tem um sentido?