sábado, 5 de setembro de 2009

Para me parar

Seja firme,
se afirme
seja incerto,
mas perto,
mais perto,
bem perto,
esperto!
Dissolva-se,
e assim,
misture-se
em mim.
Solidifique,
e fique aqui.

2 comentários:

de Sá disse...

Uhuuuulll!!!
Aqueles poemas loucos que os professores adoram!! UAhAUhAUAUUAH...

de Sá disse...

Respondendo ao comentário que deixou no meu brog:

Amor próprio? Amor próprio é o caralho! Tá mais pra ódio próprio! aUhAUhaUhaUAUuAha...

E sobre esperar as coisas caírem do céu. Na verdade não posso ter expectativa nem no que eu faço certo, imagina esperar algo?