terça-feira, 13 de outubro de 2009

desMATERIALize (lise)

O espaço é pouco para o que quero...o tempo é curto para o que tento...mas faço meu tempo-espaço em um pouco espaço de tempo, e em um ínfimo pedaço de espaço. É com pequenos braços que abraço o meu espaço, e com a vontade, dou saltos e cortes na linha do tempo. Não posso com partes, ser toda, mas materializo espaço, penso tempo...sobreponho formas e agrego idéias, e eu, ser, sou mais uma parte e cerne do meio.

2 comentários:

de Sá disse...

Hã?
AUHuAhUAhUhUAHa...
Acho que tô ficando burro... não entendi muito bem! xD

Thávia disse...

"Desmaterializando a obra de arte do fim do milênio
Faço um quadro com moléculas de hidrogênio
Fios de pentelho de um velho armênio
Cuspe de mosca, pão dormido, asa de barata torta(...)

Desmaterializando a matéria
Com a arte pulsando na artéria
Boto fogo no gelo da Sibéria
Faço até cair neve em Teresina
Com o clarão do raio da silibrina
Desintegro o poder da bactéria"...

Zeca Baleiro é um poeta...



Ah, com sua licença, usei o nome do link em um post!

=p

prazer te conhecer!